Viver de Poesia pode, produção?

 

Mas calma, nem tudo é dor, temos as delícias que compensam esse trabalho todo, como sentir o cheiro do livro chegando da gráfica, os abraços dos amigos e leitores no lançamento dos livros, a realização de projetos de melhoramento social, além da deliciosa sensação de alegria ao escrever na lacuna “Profissão” no check in dos hotéis a palavra: POETA.

Tenha preparação profissional e emocional para encarar os desafios burocráticos de uma carreira de artista-produtor como os prazos apertados, as exageradas exigências dos editais e regulamentos, entre outros impasses da vida de um artista produtor independente.

Para que sua carreira seja o mais sustentável possível, capacite-se por meio de cursos online ou presenciais sobre produção cultural – muitos são gratuitos. Informe-se sobre políticas públicas para literatura, leia os editais passados e os projetos neles aprovados para saber a “linha” que cada instituição costuma seguir. Acesse páginas sobre concursos de poesia – muitos oferecem prêmios em dinheiro ou publicações de seu poema, editais para participação em feiras literárias, saraus, antologias, entre outras.

Mas calma, nem tudo é dor, temos as delícias que compensam esse trabalho todo, como sentir o cheiro do livro chegando da gráfica, os abraços dos amigos e leitores no lançamento dos livros, a realização de projetos de melhoramento social, além da deliciosa sensação de alegria ao escrever na lacuna “Profissão” no check in dos hotéis a palavra: POETA.

Algumas dicas que funcionam comigo são:

- Faça um calendário contendo os editais que mais têm a ver com sua arte para se programar e elaborar com calma seu projeto;

- Elabore seu projeto de acordo com as exigências do edital;

- No projeto, use linguagem objetiva, evitando termos muito técnicos, acadêmicos ou artísticos demais;

- Faça um orçamento compatível com seu projeto, estimativas exorbitantesixo ou muito abaixo dos preços trabalhados no mercado têm menos chances de aprovação pelo investidor;

- Proponha atividades complementares como oficinas, exibições itinerantes, seja como contrapartida ou como parte do projeto;

- Foco na cultura, afinal projetos comerciais, de cunho político ou religioso normalmente não são aceitos nos editais;

- Se o foco for uma lei de incentivo, é interessante já ter um patrocinador antes da inscrição do projeto;

- Para compor a ficha técnica do projeto, opte por profissionais com experiência e boas referências no mercado;

- Contemple a diversidade cultural em seu projeto e ofereça-a de forma democrática e lúdica ao público;

- Mantenha seu clipping de mídia atualizado. É ele que comprovará sua atuação e relevância na cena cultural;

- Mantenha o foco e a fé.

 

Texto de Marina Mara, do livro Profissão Poeta, 2016.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar