Leis de incentivo à Poesia

Algumas leis de incentivo à cultura oferecem editais dedicados à literatura, poesia, produção de eventos literários. Para entender melhor essas leis e se informar melhor sobre oportunidades na cena literária nacional e internacional vale a pena uma pesquisa mais aprofundada no portal do Ministério da Cultura (www.cultura.gov.br) e em outras fontes confiáveis de divulgação especializada no assunto.

Esses benefícios oferecidos por essas leis podem ser em forma de dedução fiscal às empresas ou às pessoas físicas que investem em cultura. Essas leis de incentivo fiscal podem ser geridas por órgãos federais (oferecendo abatimento no imposto de renda), estaduais (oferecendo isenção de ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) ou municipais (oferecendo isenção no IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano e no ISS – Imposto Sobre Serviços), podendo esse abatimento chegar a até 100% do valor do projeto.

Produção de Saraus

Quem acha que organizar um evento de poesia é tarefa fácil, provavelmente nunca organizou um. Para facilitar sua vida de futuro organizador de eventos poéticos, segue um passo-a-passo detalhado que serve tanto para pequenas reuniões mais intimistas, lançamento de livros, a grandes eventos ao ar livre. Vamos dividir essas etapas entre a pré-produção, a produção e a pós-produção.

 

Doula Poética

Poema bom é aquele que brinca com os sentidos ao mesmo tempo que comunica sua poesia. Eis a receita para escrever poemas com poesia. De um modo mais didático, entendamos o papel da poesia, do poema e do poeta.

Diferentemente do que muitos acreditam, poesia e poema não são palavras sinônimas. A poesia não precisa de grafia para existir: ela pode estar em um raio de sol, em um gesto ou até mesmo em fatos inusitados do dia a dia, que, pelas mãos (e olhos) dos poetas, se transformam em poemas.Poema bom é aquele que brinca com os sentidos ao mesmo tempo que comunica sua poesia. Eis a receita para escrever poemas com poesia. De um modo mais didático, entendamos o papel da poesia, do poema e do poeta.

Poesia e Cultura RAM

Este capítulo é inspirado no livro Cultura RAM, de 2007, do teórico é crítico espanhol José Luis Brea, referência em estética e teoria da arte contemporânea com sensibilidade de enxergar a tecnologia como uma expressão poética, entre outras questões-chave de nosso tempo-espaço. Esta leitura é de suma importância para compreendermos as mudanças socioeconômicas na “era digital” para nos inserirmos nessa cadeia de forma sustentável e produtiva.

 

Poesia Falada

Em meados dos anos setenta, quando a poesia marginal tomou corpo, o termo “declamar poesia” caiu por terra, sendo substituído pelos mais moderninhos por “falar poesia”. Nascia ali a Poesia Falada, que pretende aproximar-se ao máximo da naturalidade da fala, fazendo o poema parecer-se com uma conversa. Falar um poema é interpretá-lo, assim como fazem cantores e atores – nesse caso, o personagem a ser interpretado é o poema

Porém, como a maioria dos poetas não é ator, seguem algumas dicas importantes para melhorar nosso desempenho no palco ao falar poesia.

Circulação de Poesia

Frases arbitrárias como “poesia não vende”, “o povo não gosta de poesia” são um retrato de um passado recente, no qual esses escritores ficavam reféns do mercado editorial, sem a possibilidade de construir uma carreira sólida de forma independente, impossibilitando a chegada de seus textos ao público.

Porém, essa realidade vem se transformando e a poesia está entrando em uma boa fase novamente. Parte desse fenômeno se deve – acredito – às mudanças comportamentais da sociedade que está se vendo obrigada a rever seus hábitos e valores para continuar habitando nosso planeta.

Poesia e Arte Urbana

Para quem arrepiou os cabelos literários com tanta burocracia para colocar sua poesia na rua, já pode passar a chapinha da resolução de seus problemas, apresento a você o lambe-lambe, o fanzine e o estêncil, três forma muito baratas de publicar sua poesia.

O “lambe”, como é chamado na intimidade das ruas, é um adesivo ou papel a ser colado com sua arte nas ruas, seja ela um poema, uma tirinha de quadrinhos, uma ilustração. Ele pode ser de diversos tamanhos e formatos. Por ser de fácil envio, muitos artistas trocam lambes pelo correio, fazendo com que sua arte chege à cidades e países  nos quais você nunca esteve, por exemplo.